25/03/2020 às 08h11min - Atualizada em 25/03/2020 às 08h11min

ACISA Porto Xavier lança campanha: Crédito Solidário

Acisa
Devido ao cenário da pandemia do Coronavírus a Acisa Porto Xavier está lançando a campanha: CREDIÁRIO SOLIDÁRIO: AJUDE QUEM SEMPRE AJUDOU VOCÊ! Essa campanha visa minimizar os efeitos negativos causados pela Pandemia. Assim: – PROCURE PAGAR SUAS PRESTAÇÕES EM DIA (mesmo que a loja esteja fechada, entre em contato telefone- whatts, faça uma transferência); – SE PUDER COMPRE À VISTA; – SE PUDER PAGUE ANTES; – SE PUDER USE O CARTÃO DE CRÉDITO (o lojista poderá antecipar com o banco se houver necessidade); Medidas simples como o uso consciente do crediário podem salvar empregos, empresas e o abastecimento de nossas lojas, inclusive em tempos de crise! Confira o relato do Presidente da ACISA, Geferson Deutner da Silva: CARTA ABERTA EFEITO COVID-19 Ultimamente estamos vivendo dias nunca antes imaginados; nem posso pensar no terror que se transformou a vida dos profissionais da saúde. Aos quais deixo meu total respeito, e votos de que a classe política possa tratar esses profissionais com mais dignidade, em especial, no que se refere a estrutura de trabalho. Quero neste texto tratar de um tema que não é a saúde. Deixo esse tema aos profissionais da área. A nós cabe o respeito à aquilo que determinam! Mesmo quando discordamos. Detenho-me a situação do Comércio, e, em especial, a situação do comércio de minha cidade. No Brasil é muito difícil defender a causa empresarial! Geralmente somos; exploradores dos empregados! sonegadores de impostos; aqueles que só querem saber de “LUCRO”! e a palavra “LUCRO” então,... é quase satânica! Quase nunca é entendida como uma contrapartida por um trabalho bem feito! Alias, empresário só ganha se houver um trabalho bem feito! Caso contrário, terá que lidar com as perdas! A maioria das empresas no Brasil são micro e pequenas, e em ninha cidade não é diferente. Esse modelo de empresa é responsável pela maior parte dos empregos formais. Alias, na maioria das pequenas empresas patrão e empregados são amigos íntimos, com convivência fora da empresa, e com o passar do tempo cria-se um elo quase que familiar; Esse ser chamado empresário é responsável pela sobrevivência da sua empresa, bem como da sua família, e de outras famílias, a família dos seus empregados; e isso pesa demais!!!!... claro que temos maus empresários, porém a maioria sente nos ombros o fardo que é ter outras pessoas dependendo economicamente do seu negócio; torce e deseja o melhor ao seu colaborador (amigo); Ao final do mês; pagos: salários, impostos; aluguel; contabilidade; embalagens; etc... etc. Etc. E mais e mais IMPOSTOS E TAXAS, o que, e se,.. sobrar o empresário terá ao final do exercício seu “LUCRO”; o CORONA VIRUS, esta fazendo um estrago em nossa economia sem precedentes. As medidas restritivas, dentre elas, o fechamento dos comércios tidos como não essenciais esta sendo um duro golpe em um comércio já fragilizado. E aqui não entraremos no mérito da questão. O governo mandou! Estamos cumprindo! Não trata-se de uma disputa Saúde x Economia, penso que as duas devam andar juntas. Em um dia o empresário estava trabalhando, e no seguinte é obrigado a fechar suas portas. Porém, são mantidas suas obrigações, ele tem que dar conta de pagar boletos à vencer, imposto, aluguel. Etc.. enfim, todas as suas obrigações. As quais está se estudando a prorrogação ou empréstimos com juros menores, mais ainda assim seguem obrigados a tudo! E a sua Família??? já que Lucro não há hipótese de existir neste cenário! Até aqui nada de diferente ao que está acontecendo pelo mundo. Porém em nossa cidade esse cenário fica ainda mais preocupante pois existe uma característica que coloca os empresários em extrema vulnerabilidade, o CREDIÁRIO PRÓPRIO, o famoso caderninho; Para a maioria, a famosa “gordurinha” para enfrentar momentos de crise está depositada na confiança de receber de clientes, que muitas vezes teriam uma vida muito pior não fosse a confiança e a parceria de lojistas, facilitando o pagamento, aliviando no juros, etc... Some o fato de perder muito dinheiro, ser responsável pelo ganha pão de outras pessoas, não poder abrir, ou ter sua atividade limitada, ter que pagar tudo, incluindo aqueles produtos que havia comprado para Páscoa, não ter nenhuma garantia de que receberá, até porque está fechado; e não ter nenhuma garantia de que poderá voltar ao “normal” logo, tampouco se sua empresa irá aguentar, que você entenderá o que esta vivendo o pequeno empresário! GEFERSON DEUTNER DA SILVA PRESIDENTE ASSOCIAÇÃO COMERCIAL INDUSTRIAL (ACISA) PORTO XAVIER – RS
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »