06/08/2021 às 14h06min - Atualizada em 06/08/2021 às 14h06min

Surto de coronavírus no Hospital Conceição teve origem nas visitas, acredita a instituição

GaúchaZH
Vinte e nove pacientes e 12 funcionários do Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Porto Alegre, testaram positivo para coronavírus nesta semana. O surto, acredita a instituição, teve origem nos visitantes de pessoas internadas. Após reunião na manhã desta sexta-feira (6), a casa de saúde anunciou medidas para conter a propagação do vírus, entre elas, a suspensão de visitas e a testagem de qualquer paciente com sintomas de covid-19.
 

A hipótese de que a contaminação veio pelos familiares é levantada, especialmente, porque os pacientes são testados antes da internação e, quando isso aconteceu, nenhum teve resultado positivo, explica Renato Cassol, infectologista da instituição. A identificação do primeiro caso foi feita somente após o início dos sintomas.

 

 —  Foi tudo simultâneo, o primeiro detectado veio de outro hospital e positivou. Ele devia estar incubando [o vírus]. Na sequência, começamos a detectar nas outras áreas  —  argumenta o médico. 

A partir dessa detecção, a testagem foi ampliada e foram registrados mais pacientes, totalizando sete áreas afetadas. Como são setores distintos e não houve contato entre essas pessoas, a ideia de que o vírus foi levado para dentro do hospital através de visitantes ganha mais força. 

 —  Esse surto é simultâneo. Não é um paciente que passou para outro, que passou para outro. Ele surgiu em áreas bem distintas do hospital, não há vínculo desses pacientes. A gente acredita, sim, que tenha sido provocado por visita de familiares. Estávamos fazendo a testagem na Emergência, portanto, não é por essa área que o vírus está entrando. Não é esse o furo. Ele entrou pela circulação de familiares  —  completa Cassol. 

Todos os pacientes passam bem e não necessitam de atendimento em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Eles estão em isolamento dentro da instituição. Os funcionários estão afastados do trabalho.

Serviços restritos 

Pela característica de alta transmissibilidade, Cassol diz que o hospital acredita se tratar de surto causado pela variante Delta, identificada inicialmente na Índia e mais transmissível. A confirmação, no entanto, depende dos resultados dos exames feitos pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Até a tarde de quarta-feira (4), o Rio Grande do Sul contabilizava 11 casos dessa cepa e tinha outros 34 em investigação. 

Mesmo sem saber se os pacientes estão contaminados pela Delta, a instituição trabalha como se eles estivessem.  

 —  Desconfiamos, então, estamos assumindo que é a Delta  —  garante Cassol. 

Para cortar a circulação do vírus, as visitas foram suspensas e a emergência passou a atender apenas casos graves que chegam via Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Todas as equipes foram orientadas a testar pacientes com quaisquer sintomas condizentes com a covid-19. 

Outra medida adotada foi o uso exclusivo de funcionários no setor de Onco-Hematologia e a suspensão das internações eletivas por um prazo de sete a 14 dias nessa área. Também é feito o rastreamento de todos os profissionais e pacientes que tiveram contato com os contaminados. Veja as restrições:

  • Suspensas as visitas por tempo indeterminado no Hospital Conceição;
  • Temporariamente suspensos os exames ambulatoriais no Hospital Conceição, como endoscopia, tomografia, medicina nuclear;
  • Emergência do Hospital Conceição atenderá somente casos graves, enviados pelo Samu;
  • Cirurgias eletivas estão suspensas no Hospital Conceição por 15 dias, exceto casos graves e cirurgias oncológicas;
  • Novas internações estão suspensas no Hospital Conceição até que se controle os surtos;

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »