05/10/2021 às 16h26min - Atualizada em 05/10/2021 às 16h26min

Seguro vai indenizar produtores de bovinos em caso de febre aftosa no RS

GaúchaZH

Livre de febre aftosa sem vacinação, o Rio Grande do Sul passa a contar, a partir de agora, com um mecanismo capaz de oferecer proteção aos donos dos rebanhos. Em uma iniciativa inédita, recorre ao seguro para compensar eventuais perdas em caso de focos da doença que, espera-se, não venham a acontecer. Prejuízos de até R$ 315 milhões têm a indenização assegurada. A assinatura do contrato que viabiliza a operação foi feita nesta segunda-feira, entre o Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal (Fundesa) e a seguradora Fairfax.

A inovação é vista como a segurança para que o pecuarista esteja engajado na vigilância exigida nesse status sanitário.

– É uma segurança para que os produtores rurais se sintam seguros – salientou Gedeão Pereira, presidente da Federação da Agricultura do RS (Farsul), no ato que selou o acordo.

A proposta foi construída a partir de estudo feito pela assessoria econômica da entidade, que mostrava a viabilidade da proteção, sem ônus extra a o produtor. No modelo construído, a apólice é paga com recursos do Fundesa – para o qual o criador já contribui hoje.

O prêmio, no valor de R$ 3,98 milhões, será pago pelo fundo que é quem está fazendo, na prática, a contratação. A cobertura é de R$ 300 milhões, valor estabelecido, explica Ricardo Sassi, diretor da Proposta Seguros, e foi estipulada após análise de risco: é a primeira apólice de seguro de aftosa no mundo.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »