14/10/2021 às 16h24min - Atualizada em 14/10/2021 às 16h24min

Com investimento bilionário, governo do RS promete consertar escolas e pagar bolsas a professores e alunos

GZH

governo estadual anunciou, nesta quinta-feira (14), um programa de investimento de R$ 1,2 bilhão na educação pública. A promessa é resolver todos os problemas emergenciais de estrutura das escolas, oferecer computadores para alunos em 100% das instituições de ensino, além de pagar bolsas em dinheiro para estudantes de Ensino Médio como estratégia de redução da evasão escolar (com investimento de R$ 180 milhões).

O programa, batizado de Avançar na Educação, também prevê o pagamento de 29 mil bolsas de aperfeiçoamento a professores. Para receber o valor extra, entre R$ 200 e R$ 600, os educadores deverão realizar os cursos de formação oferecidos pela Secretaria da Educação (Seduc). Nesta categoria, o investimento é de R$ 154 milhões.

Além dos investimentos emergenciais na rede, o governo Leite promete transformar 56 instituições de ensino em “escolas padrão”. Com investimento superior às demais, elas deverão contar com condições ideais de ensino, o que inclui acesso à internet de alta velocidade, salas de aula adaptadas para o uso de tecnologias, refeitório, cozinha, salas de professores e espaço coberto para convivência e prática de atividade física.


Entre as escolas, 52 foram selecionadas a partir do Índice de Infraestrutura das Escolas calculado pelo Departamento de Economia e Estatística (DEE/SPGG), três são escolas indígenas (uma caingangue, uma guarani e uma xoclengue) e ainda há uma quilombola. 

O programa prevê que os investimentos saiam do papel até o fim de 2022 e considera medidas que já estão em andamento, como a contratação emergencial de professores para aulas de reforço em Português e Matemática. Dos 4 mil educadores projetados para a ação, 3,8 mil já estão em sala de aula, segundo a Seduc.
 

Três vezes mais recursos para escolas

Para solucionar problemas emergenciais, o governo vai repassar R$ 228 milhões aos diretores das escolas, no repasse da chamada “autonomia financeira”. O valor, segundo o governo, é três vezes maior do que o usualmente encaminhado às escolas.

O dinheiro será suficiente, segundo o governador, para resolver todos os problemas em estruturas físicas que hoje impedem o uso de ambientes escolares ou que prejudicam a educação.

— Estamos falando de escolas recebendo, em média, mais de R$ 100 mil, em um repasse extraordinário, para as obras que forem necessárias, para atacar problemas hidráulicos, elétricos. Temos a convicção de que os recursos serão suficientes para eliminar problemas que gerem suspensão de atividades – projetou Leite.

O Avançar na Educação ainda prevê investimentos na implementação do Novo Ensino Médio, no aperfeiçoamento das avaliações de alunos, na aquisição de material didático e na reforma e transformação do Instituto de Educação Flores da Cunha, em Porto Alegre. O local, além de servir para ensino dos alnos, será transformado em um centro de desenvolvimento de professores com instalação do Museu Escola do Amanhã.

 


 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »