16/12/2021 às 14h24min - Atualizada em 16/12/2021 às 14h24min

Com eficácia de 90%, vacina da Pfizer para crianças de 5 a 11 anos é autorizada pela Anvisa

Correio do Povo, R7 e AE

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, nesta quinta-feira, o uso da vacina da Pfizer contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos. A decisão foi comunicada durante apresentação dos resultados de segurança, eficácia e tolerabilidade do imunizante para as faixas etárias. De acordo com a Anvisa, a dose reduzida para crianças mostrou eficácia estimada de 90% na incidência de casos de coronavírus, além de presença significativa de anticorpos contra a variante Delta, de maior transmissibilidade no País. O estudo foi feito com mais de 2.250 pessoas dessa faixa etária. 

A liberação da vacina para o público – que terá dose diferente daquela aplicada em maiores de 12 anos – deve ser publicada ainda hoje no Diário Oficial da União. Assim, com o registro, o imunizante já pode ser aplicado. Contudo, ainda não há previsão de quando a campanha destinada às crianças inicie no país. Até o fim da manhã desta quinta-feira, o Ministério da Saúde não havia divulgado qualquer calendário de compra das doses específicas para a faixa etária dos 5 a 11 anos. 

A dose da vacina que será aplicada nas crianças equivale a um terço da dose usada nos adultos, e o imunizante poderá ser armazenado por dez semanas à temperatura de 2°C a 8°C. Já a vacina aplicada em pessoas acima de 12 anos pode ser guardada por quatro semanas após o descongelamento. O frasco infantil é de cor laranja, enquanto o adulto é roxo. 

A Anvisa sugeriu que a imunização contra a Covid-19 dessa faixa etária seja feita separadamente da dos adultos. A vacina aprovada para crianças é administrada em duas doses de 10 microgramas com três semanas de intervalo.

Além disso, Anvisa pediu que ela não seja aplicada ao mesmo tempo que outras vacinas. Por precaução, o pedido é de intervalo de até 15 dias. Ainda não foram apresentados pelo laboratório dados como a duração da proteção e a efetividade contra a ômicron ou novas variantes que ainda apareçam. 

 

Treinamento

A diretora da Anvisa, Meiruze Freitas, salientou que a imunização só poderá ser iniciada "após treinamento completo das equipes de saúde que farão a aplicação da vacina, uma vez que a grande maioria dos efeitos adversos é decorrente da administração do produto de forma errada".

Assim como a Anvisa, o presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) Renato Kfouri considera os benefícios maiores que os riscos. "Só a covid mata mais do que todas as doenças do calendário vacinal infantil somadas", exemplificou.

A Anvisa destacou, ainda, que a vacinação na faixa etária também terá impacto positivo na redução de transmissão da doença e ao minimizar as interrupções na educação dos mais jovens.

"A vacina tem desempenho importante na geração de anticorpos desta população", apontou o integrante da Gerência Geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da Anvisa, Gustavo Mendes. "Não é o desfecho principal, mas é um dado importante que foi levado em consideração", destacou. O órgão se comprometeu em seguir monitorando o desempenho da vacina em relação à variante ômicron, e também em crianças imunossuprimidas. 

 

Onde crianças já recebem vacina anti-Covid?

Os Estados Unidos, Israel e Canadá começaram a vacinação das crianças no começo de novembro e países da Europa iniciaram nesta semana, usando a Pfizer. Argentina, Emirados Árabes e El Salvador usam a Sinopharm, Moderna ou Pfizer nessa faixa etária. Cuba e Venezuela utilizam a Soberana, vacina cubana. Já China, Chile, Equador, Camboja, Indonésia e o território de Hong Kong também aplicam a proteção em crianças, mas com a Coronavac. 

 

Confira o cronograma de liberação da vacina:

12 novembro - Anvisa recebe pedido de liberação da Pfizer
23 de novembro - Exigência de dados pela Anvisa
6 de dezembro - Cumprimento da exigência pelo laboratório
10 de dezembro - Reunião com sociedades médicas
16 de dezembro - Conclusão da análise


 

Principais diferenças entre vacinas de crianças e adultos:

Dose: para crianças é de 10 ug | para adultos é de 30ug
Volume de injeção: para crianças é de 0,2 mL | para adultos é de 0,3 mL
Concentração de mRNA: para crianças é de 0,1 mg/Ml | para adultos é de 0,5 mg/Ml 
Doses por frasco: na vacina de crianças é de 10 doses por frasco | na vacina de adultos é de 6 doses por frasco
Quantidade de diluente: na vacina de crianças é de 1,3 mL | na de adultos é de 1,8 mL
Armazenamento: vacina de crianças é de 10 semanas em temperatura 2º a 8ºC | a de adultos é de 1 mês em temperatura de 2º a 8ºC 
Cor do frasco: laranja para crianças | roxo para adultos

O imunizante da Pfizer para crianças não pode ser diluído ou administrado com outras vacinas. O órgão destacou que pessoas que completarem 12 anos depois da primeira dose, devem manter o calendário vacinal com a menor dose (de 10 ug).

 

Autorização Coronavac

Na última quarta-feira, o Instituto Butantan apresentou um novo pedido de liberação da vacina produzida pela entidade à Anvisa. A requisição é de uso em crianças de 3 a 17 anos e é a segunda vez que é feita. Na primeira, a agência brasileira pediu mais informações sobre os estudos clínicos feitos na China.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »