21/12/2021 às 14h25min - Atualizada em 21/12/2021 às 14h25min

Alto número de mortes em acidentes em dezembro alerta autoridades para o trânsito no fim de ano

GZH

O alto número de acidentes fatais de trânsito, registrados nos últimos dias nas rodovias gaúchas, têm chamado a atenção das autoridades. Apenas entre às 21h de domingo (19) e 7h desta segunda-feira (20) foram ao menos sete mortes nesse tipo de ocorrência.

A primeira foi registrada por volta das 21h15min na BR-392 em Pelotas, no Sul do Estado. Um homem de 43 anos estava a bordo de uma moto quando colidiu na traseira de um caminhão.

Logo depois, às 22h, uma colisão envolvendo três carros levou a óbito duas pessoas na BR-285 em Passo Fundo, no Norte gaúcho. Já por volta da 00h40min, um pedestre foi atropelado por um veículo no quilômetro 90 da Freeway (BR-290) em Porto Alegre.

Por volta das 4h um condutor de 32 anos colidiu com um caminhão após ultrapassagem em local indevido e perdeu a vida na RS-115, em Taquara, no Vale do Paranhana. Às 6h50min, um motorista de 42 anos se chocou contra um paredão rochoso na BR-116 em Caxias do Sul, na Serra, e também perdeu a vida. Por fim, às 7h, uma idosa de 77 anos foi morta atropelada por um caminhão em um condomínio no bairro Vila Nova, na zona sul de Porto Alegre.

Não é a primeira vez neste mês que há um acúmulo de acidentes fatais em um intervalo curto de tempo. Entre a última terça-feira (14) e quarta-feira (15), pelo menos 10 óbitos foram registrados nas estradas gaúchas em um intervalo de 24 horas.

O número elevado de acidentes graves faz com que dezembro já tenha mais mortes em rodovias federais do Estado do que em todo mês de novembro.  Dados preliminares da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apontam que apenas nos primeiros 15 dias desse mês 14 pessoas perderam a vida em acidentes nas BRs gaúchas, quatro a mais do que no mês passado. Acrescentadas as cinco fatalidades do último dia em estradas federais, esse número chega a pelo menos 19.

Segundo o chefe de comunicação da PRF Felipe Barth ainda não é possível se tirar alguma conclusão sobre o aumento considerável dessas ocorrências. Isso porque, segundo ele é necessário aguardar um intervalo maior de tempo para se observar se há ou não um padrão no crescimento de ocorrências no trânsito.

— Não há nenhum fato específico que justificasse um número alto de mortes, ainda mais em um fim de semana em que fizemos diversas ações. Ainda estamos computando as ocorrências para analisar o que realmente aconteceu — afirma.

Apesar desse alerta, Barth aponta que o número de acidentes com morte em 2021 deve ser menor que 2019, no período pré-pandemia. Naquele ano já havia sido registrado uma queda de 314 para 303. No ano seguinte a diminuição foi ainda mais evidente, com 235 óbitos nas estradas. Até novembro de 2021, dados apontavam para 288. Um aumento em relação ao ano passado, mas que de acordo com o agente da PRF, não deve ser levado em consideração.

— 2020 foi um ano totalmente atípico em razão da pandemia. As restrições fizeram com que menos veículos trafegassem pelas rodovias. Com o retorno do movimento, temos que nos basear nos dados de 2019 — explica.

Além da própria PRF, o Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran-RS) aponta que os principais fatores que levam a acidentes são a desatenção, o desrespeito às leis de trânsito, e o consumo de bebidas alcoólicas.

Com a aproximação dos feriados de fim de ano e o início da temporada de veraneio, agentes de segurança se mobilizam para evitar que os próximos meses sejam ainda mais sangrentos nas rodovias do RS.

A diretora institucional do Detran RS, Diza Gonzaga, afirma que, para esse ano, voltarão a ser reforçadas as abordagens com uso de bafômetro, para combater o alcoolismo na direção.

Durante o pior momento da pandemia, para evitar o contágio da Covid-19 entre motoristas e servidores, o instrumento foi utilizado apenas em casos visíveis de embriaguez. Nesse verão a fiscalização será reforçada nesses casos, que representam cerca de 70% dos acidentes em estradas, conforme a autarquia.

— Estamos mobilizados para realizar ações de fiscalização e educação nos litorais Norte e Sul. Nunca é demais reforçar a importância de tirar o pé do acelerador, evitar manobras arriscadas e ter empatia com o outro — ressalta Diza.

A embriaguez também é um alvo das operações nas estradas estaduais. O 3º batalhão do Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM), que abrange a Região Metropolitana, Serra, Litoral Norte e vales, contabilizou quatro mortes durante o final de semana, sendo duas de condutores alcoolizados. Além disso, agentes registram cada vez mais veículos que excedem a velocidade, sendo esse um dos principais motivos para as 13 fatalidades já registradas em rodovias gaúchas em dezembro nessa região do Estado.

— Para o verão estamos prevendo aumentar o número de operações e o controle eletrônico de velocidade, além de uma observação ainda mais criteriosa sobre possíveis infrações, tudo isso com um reforço significativo do efetivo — explica o major Leandro Arbogast, comandante do 3º batalhão.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »