20/01/2022 às 14h28min - Atualizada em 20/01/2022 às 14h28min

Internação infantil por Covid-19 cresce em janeiro no Rio Grande do Sul

Números seguem aumentando nos hospitais com atendimento pediátrico em Porto Alegre

CP

Com o crescimento das infecções por Covid-19 no Rio Grande do Sul, as internações de crianças pela doença no Estado acendem um alerta. Durante atualização dos números da pandemia, o Chefe da Divisão de Dados e Indicadores do DEE/SPGG, Bruno Paim, apontou que as hospitalizações infantis por coronavírus saltaram de quatro em 1º de janeiro de 2022 para 40 até a última terça-feira - um aumento de 900%. No mesmo período, cresceu de três para 13 o número de pessoas dessa faixa etária em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no RS - uma elevação de 333%. 

A alta também pode ser identificada nas internações em hospitais de Porto Alegre. O Grupo Hospitalar Conceição (GHC) informou que, até esta quinta-feira, 10 crianças foram internadas por coronavírus em janeiro. Em contato com a reportagem na última sexta, dia 14, eram cinco hospitalizadas desde o começo do ano. 

Das dez internações no GHC, duas foram em UTI. Uma criança de 12 anos foi hospitalizada no último domingo, e liberada na quarta. Já outra, de três anos, permanece na instituição em ventilação mecânica. Em dezembro, conforme o Conceição em revisão de dados, três crianças foram internadas por Covid-19, sendo uma na UTI. 
O Hospital Moinhos de Vento é outra instituição na Capital que aponta elevação nos índices internação infantil por Covid-19. Na última sexta-feira, nenhuma criança estava hospitalizada pela doença, e hoje já são três. Na Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, no mesmo período, o número de hospitalizações por coronavírus foi de um para dois. 

 

Vacinação de crianças 

Nessa quarta, crianças começaram a serem vacinadas em Porto Alegre e no interior do RS. Na Capital, a fila para atendimento do público na Unidade Santa Marta chegou a dobrar a esquina da rua Capitão Montanha com a avenida Mauá. O imunizante usado é o da Pfizer. 

Hoje, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso da Coronavac para crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. A decisão foi unânime, tomada pela diretoria colegiada da reguladora, visto que a vacina não possui registro definitivo. Por isso, cabe aos diretores deliberarem sobre o tema. A indicação da Anvisa prevê que a dose para crianças seja a mesma destinada a adultos: 600 SU do antígeno do vírus inativado em 0,5 ml. O intervalo entre as aplicações deverá ser entre 2 a 4 semanas.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »