03/03/2022 às 14h00min - Atualizada em 03/03/2022 às 14h00min

Ataque russo contra cidade ucraniana de Chernigov deixa nove morto

Aviões russos também atacaram residências particulares e duas escolas na área

Correio do Povo

Um ataque russo a areas residencias, incluindo escolas, na cidade de Chernigov, no norte da Ucrânia, deixou nove mortos e quatro feridos, informou o governador da região nesta quinta-feira. "Os aviões russos também atacaram residências particulares e duas escolas na área de Staraya Podusivka (em Chernigov). Os serviços de resgate, que estão trabalhando na área, afirmam que houve nove mortos e quatro feridos", explicou o governador da região de Chernigov, Vyacheslav Chaus, no Telegram.

Depois de conquistarem Kherson, sua primeira grande cidade ucraniana desde o início da invasão, as tropas russas intensificaram seus bombardeios contra outros centros urbanos. A ofensiva forçou mais de um milhão de civis a fugirem de suas casas.

Nesta quinta, as tropas russas que avançam a partir da península da Crimeia têm em seu alvo agora o porto de Mariupol. "A única coisa que os russos querem é destruir a todos", lamentou o prefeito de Mariupol, Vadim Boishenko.

Se Mariupol cair, a Rússia poderia garantir uma continuidade territorial entre a Crimeia e os territórios separatistas pró-Moscou da região de Donbass (sudeste). Outro alvo é Khariv, a segunda maior cidade do país, com 1,4 milhão de habitantes, cenário de intensos bombardeios que mataram vários civis, incluindo uma observadora da missão de vigilância da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE).

 O ataque a Kiev parece estagnado no momento. Fontes do governo americano afirmaram que a imensa coluna de veículos militares que seguia para a capital está "parada" por falta de combustível e mantimentos. Na cidade de Yitomir, 150 quilômetros ao oeste da capital Kiev, Oleg Rubak chora a morte da esposa Katia em um bombardeio russo. "Em um momento eu a vi entrando no nosso quarto, e no momento seguinte, nada, nada mais", disse Rubak à AFP, sentado nos escombros do que era sua casa, com a filha de um ano e meio.

Neste oitavo dia da ofensiva russa, representantes da Ucrânia e da Rússia se reúnem pela segunda vez para negociar um cessar-fogo na fronteira entre Belarus e Polônia.

 

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »