11/03/2022 às 16h26min - Atualizada em 11/03/2022 às 16h26min

Governo Federal anuncia R$ 2,8 bilhões para enfrentamento da estiagem

G1

Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul devem receber cerca de R$ 2,8 bilhões para medidas de enfrentamento aos efeitos da estiagem. O anúncio foi feito no início da tarde de quinta-feira (10) em entrevista coletiva realizada na Expodireto Cotrijal, em Não-Me-Toque.

A reunião foi realizada por videoconferência entre lideranças do agronegócio e a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina. O tamanho da fatia repassada ao RS, entretanto, só deve ser definida na próxima semana, em um encontro dos prefeitos gaúchos e entidades do setor na sede da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs).

Em entrevista, nesta sexta-feira (11), o presidente da Coopatrigo e da FecoAgro-RS, Paulo Pires, ressaltou que o anúncio feito pela ministra é mais do que necessário. Além dos prejuízos causados pela estiagem, o alto custo de produção, somado ao recente aumento dos combustíveis, representará grandes dificuldades para o plantio da safra de inverno.

Segundo Paulo Pires, de todo o valor que será repassado pela União, R$ 1,2 bilhão serão destinados para rebate das linhas de custeio do Pronaf. O restante, cerca de R$ 1,6 bilhão, para destravar o crédito rural do Plano Safra vigente. Deste valor, há expectativa de que R$ 600 milhões sejam usados para equalizar as prorrogações de financiamentos de custeios e investimentos e outros R$ 510 milhões sejam direcionados para o seguro agrícola.

A ideia é que o dinheiro do Tesouro Nacional vá para a peça orçamentária federal. Depois, este recurso é alocado dentro do Plano Safra para a renegociação das dívidas dos produtores rurais. Cada agricultor deverá procurar a agência bancária para a renegociação e alongamento do contrato. Além disso, uma parte do recurso servirá para que o produtor financie o plantio das culturas de inverno como trigo e cevada.

A liberação de todos estes recursos, contudo, depende de edição de medida provisória ou votação de projeto de lei que deverá ocorrer na semana que vem. Até quinta-feira, 424 municípios gaúchos estavam com situação de emergência decretada e 386 têm decreto homologado pelo governo federal.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »