25/06/2019 às 10h13min - Atualizada em 25/06/2019 às 10h13min

12ª Coordenadoria Regional de Saúde confirma uma morte por gripe e aumento na manifestação do mosquito da Dengue

Rádio Missioneira

A 12ª Coordenadoria Regional de Saúde teve a confirmação de uma morte por gripe A (H1n1) em Santo Ângelo. O coordenador de Saúde, Iury Sommer Zabolosky participou do Programa Cidade Alerta de segunda-feira(24), relatando o caso, de um homem de 55 anos que teve os sintomas da doença contraída naquele município, e acabou falecendo.A confirmação foi feita pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Sul(Lacen). Outros 18 casos suspeitos também foram investigados, mas, descartados após os exames.

Segundo o coordenador, a meta da campanha da vacinação contra a gripe, chegou a 92,8 %, superando a expectativa. Após este período , a vacina foi liberada para a população em geral, onde a procura foi grande e as doses em poucos dias terminaram nos diversos postos da região. Iury informou ainda, que não há previsão do Ministério da Saúde fornecer novas doses até o momento, no entanto, é importante que sejam feitas as medidas de prevenção contra a gripe, e no primeiro sinal dos sintomas, a pessoa deve procurar o posto de saúde mais próximo.

A 12ª Coordenadoria também está atenta na questão do combate ao mosquito da Dengue. O coordenador citou o município de São Luiz Gonzaga como exemplo, onde segundo o Levantamento Rápido de Índice de Infestação de Aedes aegypti (LIRA), a infestação do mosquito está em 6,2 nesta tabela, o que deixa o município em alerta, pois, acima de 1,9, o risco é considerado alto. Outros municípios da região também tem apresentado um aumento muito grande na infestação dos focos do mosquito da Dengue, com isso, técnicos da Coordenadoria estão organizando um roteiro de visitas nestes municípios buscando junto às prefeituras, discutir estratégias nos trabalhos de combate ao mosquito.

Iury alertou que não adianta o poder público fazer a sua parte, se a população também não contribuir com as pequenas ações de prevenção que são repassadas nas campanhas. Se continuar esse crescimento nos focos do mosquito transmissor da doença, no próximo ano, teremos um grande risco que contaminação.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »